1535

Prefeitura Municipal de Araci

Pular para o conteúdo

Aplicativo COVID-19 Governo da Bahia

Fonte: Fac. Prefeitura de Araci
12/05/2020 às 21h26

Noticia

Galeria com imagens e vídeos sobre a matéria


O Governo da Bahia já disponibilizou o aplicativo para celular que possibilita o registro de informações de pessoas com suspeita da Covid-19, viabilizando o atendimento remoto, além do monitoramento e acompanhamento das pessoas, e já está disponível para ser baixado.

Por enquanto, o aplicativo só está disponível na plataforma Android, através da Play Store. Ainda não há a versão para os usuários do sistema iOS.

Com profissionais de saúde na retaguarda, chat interativo para uma rápida comunicação entre o paciente e o profissional de saúde a ferramenta permite georreferenciar, mapear e classificar cada caso, permitindo que os planejamentos de ações estejam alinhados com a realidade epidemiológica da pandemia e necessidade de cada indivíduo.

O paciente responderá a perguntas simples sobre seu estado de saúde diariamente. Se houver alguma resposta que remeta a sinais de alerta, será sinalizada para a equipe de retaguarda, permitindo que a mesma entre em contato telefônico com a paciente e dispare ações mais eficientes dentro das necessidades dos cidadãos, buscando auxiliar o cidadão na tomada de decisão de procurar ou não um serviço de saúde.

O aplicativo ainda possibilita ao paciente acessar a localização das unidades de urgências mais próxima de sua residência, informações sobre medidas de prevenção para doenças respiratórias e orientações sobre os cuidados no isolamento domiciliar.

Nessa lógica, será estabelecido um ecossistema de cooperação mútua de profissionais de saúde e pessoas em isolamento, no intuito de subsidiar as decisões das pessoas dentro de casa.

Em resumo as principais funcionalidades são:

1. Classificação de risco automática das pessoas em isolamento.

2. Monitoramento em tempo real das condições clinicas dos pacientes em casa.

3. Um canal de comunicação permanente dos profissionais de saúde e as pessoas em sofrimento clinico e/ou psíquico.

4. Monitoramento georreferenciado das condições das pessoas.

5. Informação de qualidade e dentro da realidade de cada pessoa.